samedi, février 5

Loft Story

Hoje foi um dia duro (mais um, aliás). Depois de 4 horas e meia de aulas! (um record negativo que espero não volte a suceder), fui aproveitar o sol e temperatura amena (ok, o sol) e quando saí das Ponts et Chaussées fui em direcção a norte. Nesta altura, a boa localização das aulas voltou a dar os seus frutos, porque em 7 minutos estava à porta do Louvre. Seguiu-se um passeio pelo Jardin des Tuileries, que tem uns lagos no seu eixo central com umas cadeiraças muita confortáveis. Que espectáculo – ali refastelado, a apanhar com o solzinho na cara, com a torre eiffel ao fundo à esquerda e o arco do triunfo em frente... Só faltou mesmo o belo do crepe. Que só comi mais tarde, à saída do Metro já ao pé da residência. Ainda tentei inovar e pedir um sucré em vez do habitual confiture de fraise. Mas como o rapazola que estava antes de mim na fila (sim, porque aquilo é muito concorrido... fiquei para aí 10 minutos à espera) pediu um de chocolate preto, que não havia, e resignou-se então ao doce de morango. Conclusão: a espátula que o crepeiro utilizou para virar o meu crepe ainda vinha com um bocado de doce agarrado, e eu estava mesmo a ver que no meio do meu desenxabido crepe sucré ía lá estar um resquício de morango, e eu ía passar o resto do crepe a pensar como teria sido bom se tivesse pedido o do costume. Por isso ainda alterei o meu pedido no último momento... e foi bom!

Seguiu-se a imprescindível soneca de fim de tarde (indispensável, para mais às sextas-feiras-dias-de-borga) que nada fez para melhorar a minha constante dôr de garganta mas que pelo menos me deixou mais restabelecido depois das emoções do dia para a festa em casa do Filippo, um dos italianos do curso que foi, desta vez, o nosso anfitrião.

22h30 – Saint-Ambroise – A casa do Pipo era do caraças!!! Basicamente, e sem exagero, a casa mais espectacular em que eu já estive (para uma pessoa e sem ter em conta o binómio altura-vista ou a sempre importante localização). Um loft enorme, com uma sala grandona, a cozinha com duas bancadas a um canto, e o quarto ao fundo, desnivelado em relação ao resto, com uma divisória semi-transparente e uma cama absolutamente gigante. Basicamente, o hall de entrada era o dobro do meu quarto. O hall de entrada. Não falo do resto. E a casa de banho com chuveiro E banheira-jacuzzi foi particularmente ofensiva nesta fase da minha vida. Há gajos com sorte!

A festa foi animada, a música deixou a desejar e os espanhóis (e o espanhol) estavam, para variar em supremacia, mas desta feita havia uma série de gente que não era do curso. Com destaque para um grupo de 6 meninas que chegaram com os seus dourados penduricalhos, penteados extravagantes e maquilhagens agressivas, e que vim a descobrir eram todas estagiárias de moda. Uma com quem falei era da Guatemala, mas tinha estudado em Londres 4 anos, estava agora em Paris uns meses a estagiar com o Galliano e a seguir ía para Nova Iorque para outro estágio qualquer. Fogo! Há gajos com sorte! E há gajas com vida! Lon-Par-NY...

(* já agora, nota cultural - Loft Story é o nome do Big Brother cá nas Franças. Daí o trocadilho. Se eu não explicar estas coisas...)



(Jardin des Tuileries - 4h30 da tarde - Juro que nesta altura me lembrei de todos os meus amigos em PT. Enfiados em escritórios. Com mais umas boas horas de trabalho pela frente : )))))))

1 Comments:

At 10:53 PM, Blogger kel said...

(por acaso um destes dias alguém estava a comentar como eram chatos e inconvenientes aqueles amigos que desatavam a tirar fotos - e a enviá-las - aos amigos para lhes fazer "pirraça" com qq coisa, e eu comentei que, felizmente, os meus amigos não eram desses... pelos vistos enganei-me redondamente, agora que vejo a tua foto e o teu comment!!)

 

Enregistrer un commentaire

<< Home